Compartilhe

segunda-feira, 29 de março de 2010

SEMANA SECA

A adutora do Sistema Italuís rompeu novamente, deixando sem água cerca de 60 bairros de São Luís nos próximos cinco dias.

Rompimento no Italuís é tão velho quanto esta notícia. Construída na década de 1980, no governo João Castelo, a encanação do rio Itapecuru para a capital foi feita para atender aos interesses da Alumar.

Enquanto cidades como Porto Alegre preocupam-se em ofertar água tratada a mais de 80% da população, a população de São Luís vive do conta-gotas da Caema.

A velha Caema de guerra, que já enriqueceu tanta gente, parece sucateada de propósito. Roseana Sarney já privatizou a compania elétrica (Cemar).

Água da Caema não dá lucro. Vai ver que preparam também a liquidação da Caema a preço de banana.

2 comentários:

Francisco Araujo disse...

Esse problema é falta de manutenção. Os governos de Roseana e mais os governos dos seguidores do seu pai não investiram em melhorias do abastecimento de água da capital. Para completar a área da barragem do Batatã está sendo invadida dia a pós dia, os rios de água "doce" foram todos poluídos com esgotos domésticos.
A Caema dá lucro, sim. Eles é que dão prejuízo para a Caema... De quem é a empresa que faz os cortes? De quem é a empresa que faz as cobranças? Quantos recebem pela Caema?
Teve uma época que essa água foi transformada não só em vinho, mas também em queijos e diversas companhias...
Você ainda não entendeu: eles estão de volta ao trabalho. O trabalho deles é esse... e não mudou em nada nesses 50 anos.

Davi disse...

Acho que se dessem uma pressão na Caema para que ela prestasse serviços de qualidade teríamos uma vida mais fácil. A Cemar tem melhorado consideravelmente.