Compartilhe

terça-feira, 16 de agosto de 2011

CIDADE OLÍMPICA DENUNCIA ABANDONO DA ÚNICA ESCOLA DO ENSINO MÉDIO



Diversas entidades associativas e comunitárias da Cidade Olímpica, estudantes e pais de alunos realizam nesta quarta-feira 17 uma manifestação para denunciar o abandono da única escola do Ensino Médio no bairro.


A manifestação começa às 9 horas, em frente à Associação dos Moradores da Cidade Olímpica (Amcol), na avenida 2, seguindo em caminhada até a construção abandonada, na rua 9, bloco B, próximo à delegacia da Polícia Civil.


Com aproximadamente 92 mil habitantes, a Cidade Olímpica tem 14 anos de fundação. Centenas de estudantes na faixa etária dos 15 aos 17 anos que precisam entrar no Ensino Médio não têm oportunidade de estudar no próprio bairro.


Segundo os relatos de representantes comunitários, a construção da escola foi iniciada em outubro de 2008, no governo Jackson Lago (PDT), cassado em março de 2009.


A governadora Roseana Sarney (PMDB) assumiu em abril de 2009 e a obra foi retomada somente em maio de 2010, mas paralisou novamente em julho do ano passado. Nesse período foi feita a parte elétrica e hidráulica, telhado e assoalho.


Desde julho de 2010 a obra está totalmente parada e passou a ser depredada. O telhado e as paredes apresentam muitas avarias. A fiação elétrica foi toda retirada e o matagal tomou conta da área. O local vem sendo constantemente utilizado por usuários de drogas, levando insegurança e desespero à vizinhança.


O prédio foi projetado para ter 12 salas, um refeitório, uma biblioteca, uma sala de informática, secretaria e quadra esportiva.


Segundo o presidente da Associação dos Moradores da Cidade Olímpica, João Batista Lira Neto, uma série de providências foi tomada durante todo esse período para cobrar o reinício das obras.


De posse de vários documentos, João Batista apresentou cópias de ofícios enviados à governadora Roseana Sarney (em 26/10/2009), ao ex-secretário de Educação Cesar Pires (em 21/07/2009) e à atual secretária Olga Simão (em 07/02/2011) cobrando a conclusão da obra.


O presidente da Amcol registra também uma audiência pública realizada no bairro com a participação de vereadores e deputados para discutir a educação, em 16/02/2011, quando a construção da escola foi novamente cobrada pela comunidade.
“Além disso, procuramos a Promotoria de Educação por três vezes e tivemos reuniões presenciais na Secretaria de Educação”, relatou Batista.


A caminhada desta quarta-feira 17 coincide com a promessa, feita pelo Governo do Estado, de reabrir o processo de licitação para contratar uma empresa e concluir o serviço.


Além da manifestação e caminhada pela manhã, as entidades, pais e estudantes vão participar, durante a tarde, do Fórum Estadual em Defesa da Educação Pública, no auditório do IFMA, no Centro Histórico. Na oportunidade, será exibido um vídeo sobre a escola abandonada, contendo imagens e depoimentos de moradores.

Um comentário:

PRES. MÉDICI NOTÍCIAS disse...

É uma vergonha este governo do Estado, sinceramente não acredito que este governo que ai esta vai concluír esta escola..... Mais parabéns pela luta, assim que a população tem que fazer denunciar e cobrar mesmo....... Coloque o link deste ótimo blog na lisa dos que leio e recomendo.....