Compartilhe

domingo, 27 de março de 2016

SEGUNDA (28): ENTIDADES CONVOCAM MOBILIZAÇÃO CONTRA O AUMENTO DA PASSAGEM DE ÔNIBUS


Protesto é organizado por vários coletivos de estudantes, Frente de Luta pela Mobilidade Urbana, entidades dos movimentos sociais e grupos independentes. 

Veja abaixo o texto-convocatória de uma das entidades que participa da mobilização, a Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (ANEL).

NENHUM CENTAVO A MAIS: NÃO ENRIQUECEREMOS A MÁFIA DO TRANSPORTE!

Nesta quarta feira (23/03) os ludovicenses foram surpreendidos com a notícia de mais um reajuste na tarifa de transporte. É o terceiro reajuste em menos de três anos. No ano de 2014 o aumento foi de R$ 0,30, elevando a tarifa das linhas integradas ao custo de R$ 2,40. Também foi extinta a "domingueira", desconto de 50% na tarifa aos domingos.

Em 2015, com um reajuste de 30% proposto pelo Sindicato das Empresas de Transporte (SET), o valor da tarifa subiu para R$ 2,80. A população não ficou inerte, houve muita luta contra o aumento abusivo, em especial pelos estudantes que protagonizaram cinco dias de fortes manifestações na capital.

O prefeito Edivaldo Holanda Jr e o Governador Flávio Dino, após as expressões de descontentamento, "reduziram" o preço somente das passagens de nível 4, que passaram a custar R$ 2,60. Apesar de ter sido uma grande vitória, por ter demonstrado a força das manifestações, sabemos também que se tratou de uma jogada estratégica pra desmobilizar e conformar a população com um aumento “menos pior”, algo que de fato aconteceu, tendo em vista que o aumento de 0,20 permaneceu.

Chega 2016 e a situação abusiva continua com o anúncio da elevação da tarifa ao valor de R$ 2,90 a partir dessa sexta feira (25.03), sem nenhum diálogo com a população e em um início de feriado prolongado, justamente na tentativa de refrear as mobilizações contra o aumento, só demonstrando o caráter antidemocrático e autoritário do Prefeito Edivaldo Holanda Jr.

Diante deste quadro inaceitável, o que se observa são frotas de ônibus, em sua maioria, sucateadas, antigas, que não oferecem segurança aos passageiros e rodoviários, que não possuem acessibilidade para as pessoas com deficiência, além de serem desproporcionais ao contingente de usuários, gerando as superlotações.  Além disso, recentemente a prefeitura implementou o Bilhete Único para justificar um possível aumento.

No entanto, o serviço em nada adianta, sendo restritivo no que tange às rotas dos ônibus e ao tempo limite pro uso, sem beneficiar a população das áreas mais distantes, que são justamente as que mais precisam. O aumento da tarifa sob tais condições, e em uma cidade relativamente pequena comparada às demais cidades com o mesmo valor de tarifa, configura-se como mais um duro ataque à juventude e a classe trabalhadora, que já vem sofrendo diante da atual conjuntura política e econômica que assola o país.

As empresas alegam o tempo todo que não estão lucrando, que estão operando no vermelho, e por isso precisam aumentar o valor da tarifa pra poderem prestar um serviço melhor para os usuários. Mas se de fato estão tendo prejuízo, então por que não abrem as contas do SET pra população ter acesso? Por que não entregam o sistema de transporte pra uma empresa municipal que seja controlada pelos usuários?

O que vemos na realidade, são as expressões da política de privatização do transporte público que acontece em todo o país. Monopólios de empresas, transferência de dinheiro público para iniciativa privada, parcerias com as prefeituras, contas e planilhas escondidas, tudo isso nos distancia ainda mais do transporte publico, gratuito e de qualidade que é um direito nosso.

Ao contrário do que é prometido, junto com o aumento da tarifa, aumentam apenas o lucro das empresas, a precarização do serviço e a cara de pau dos empresários do transporte e dos governantes. Mais uma vez a prefeitura e o governo do Estado mostram pra quem eles governam. E quem paga a conta disso, somos nós estudantes e trabalhadores.

Exigimos a revogação imediata do aumento da tarifa.

Exigimos a abertura das contas do SET e uma auditoria para garantir a transparência para o povo.

Exigimos a volta da domingueira e que o Bilhete Único seja ampliado, com um tempo maior para o uso e sem trajeto específico.

Que o transporte público seja administrado por uma empresa municipal controlada pelos passageiros, motoristas e cobradores.

Que seja destinado 1% do PIB para o Transporte Público já.

Passe livre para os estudantes e para os desempregados.

Convocamos toda a juventude para o Ato Contra o Aumento da Tarifa, no dia 28.03, a partir das 16h na Praça Deodoro.

Se depender da juventude e dos trabalhadores organizados nenhum aumento passará. Empresários e governantes aguardem, pois a ilha vai parar!

2 comentários:

Jheny Maia disse...

O ato ta sendo construído coletivamente. Nos dá Anel estamos na organização junto com a frente de mobilidade urbana, outras entidades do movimento estudantil,movimentos sociais e independentes. Obrigada pela ajuda na divulgação.
Reforçamos o chamado a todos que estão indignados com esse aumento absurdo. NENHUM CENTAVO A MAIS!

Ed Wilson Ferreira Araújo disse...

olá Jheny, fiz a correção. Grato pelas informações.
O ideal seria fazer um material de divulgação unificado, para que não haja erros na divulgação.