Compartilhe

sábado, 5 de maio de 2012

CURSO DE MEDICINA EM IMPERATRIZ: A UFMA É O MELHOR LUGAR

O governo federal, o reitor da UFMA Natalino Salgado e o prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira (PSDB) precisam atuar de forma integrada para viabilizar o curso de Medicina em uma instituição pública e gratuita, de forma a permitir que o acesso a esse cobiçado conhecimento seja democratizado, através do Enem, com fiscalização rigorosa das provas.

E o melhor lugar para implantar o curso de Medicina é a UFMA. Porém, alguns indicativos apontam outros caminhos.

Há muito a região tocantina almeja o curso de Medicina e agora o noticiário do jornal O Progresso, de Imperatriz, começa a ventilar a possibilidade de o curso ser oferecido por instituições particulares.
Estão na lista a Facimp, de propriedade do ex-suplente de senador Antonio Leite (PMDB); e o Uniceuma, da família Mauro Fecury (DEM). Nem precisa dizer quais interesses motivam o consórcio Leite/Fecury nesta empreitada.
A UFMA de Imperatriz foi contemplada com três novos cursos em 2006 (Engenharia de Alimentos, Jornalismo e Enfermagem), somando-se aos três anteriores: Direito, Ciências Contábeis e Pedagogia.
No momento em que abrem-se novas possibilidades para o acesso ao ensino superior no Brasil, é inconcebível que o Ministério da Educação favoreça instituições de ensino privadas com o curso de Medicina.
As consequências de uma decisão como essa serão as mensalidades altíssimas, totalmente fora do alcance da maioria da população, e um curso focado na formação de profissionais interessados no lucro da doença, sem qualquer preocupação com a pesquisa científica ou a extensão universitária que podem e devem estar a serviço do desenvolvimento regional.
A população da região tocantina merece o curso de Medicina é na UFMA, com qualidade de ensino, pesquisa e extensão.
O Maranhão já está demais contemplado com instituições privadas de ensino cuja finalidade é exclusivamente o lucro, sem qualquer retorno para a população carente.

2 comentários:

Blog do Josué Moura disse...

Prezado Ed Wilson, a deputada estadual Valéria macedo também pensa assim. Veja recente discurso dela na tribuna da Al:
http://josuemoura.blogspot.com.br/2012/04/curso-de-medicina-publico-e-gratuito.html

Anônimo disse...

caro Ed wilson,
Por falta de informação, ou conceito formado antes, foi omitido as duas licenciaturas do CCSST, coordenadas pelo professor Dr. Marcelo Soares (LCN) e professor Dr. Agnaldo Silva (LCH). Ademais, uma IES onde o Diretor atual e uma camarilha de professores apoiadores, vão para as eleições sabendo que o mesmo estava querendo tão somente o poder para viabilizar a remoção para a UNIFESP, não sei se tem maturidade para um projeto desta envergadura. Por fim, sabedor de seu emepnho de colaborar com o local onde vc trabalhou, tv fosse bom uma matéria sobre o Campus II na Bairro Bom Jesus: a situação é séria.

Augusto Prado