Compartilhe

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

HOLANDINHA PAGA PARA APANHAR NO SISTEMA MIRANTE

Tal qual o ex-governador Jackson Lago (PDT), que empanturrava o Sistema Mirante com verbas publicitárias, mas acabou cassado e morto, o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PTC) despeja dinheiro nas empresas de comunicação da oligarquia Sarney, onde apanha todo dia.

Homem temente a Deus, não é conveniente ao prefeito a prática de masoquismo político. Mas, é o que parece ser.

De segunda a segunda, quanto mais dinheiro em publicidade o prefeito deposita na conta dos Sarney, mais açoitado ele é. 

O jornal "O Estado do Maranhão" de domingo, 20, trouxe na capa e na editoria de política um rosário de denúncias contra o prefeito, inclusive levantando suspeitas sobre licitações viciadas.

Na rádio Mirante AM, no programa noturno de hoje, 21, as matérias do jornal impresso de ontem foram fartamente repercutidas, com o adicional de críticas pesadas ao secretário da Semosp (Obras e Serviços Públicos), José Silveira.

Alcunhado de "Silveirinha", o secretário foi adjetivado de "cara de pau", "bunda mole" e que não manda na Semosp, onde quem dá as cartas, segundo o titular do programa, é o pai do prefeito Holanda Junior, o Holandão (PTC).

As críticas ao secretário Silveira foram desferidas logo após a leitura do anúncio testemunhal da Prefeitura, distribuído ao longo de vários programas da rádio Mirante AM. 

Testemunhal é um texto publicitário, geralmente elogioso ao anunciante (no caso, a Prefeitura de São Luís), que é lido ao vivo pelo apresentador do programa.

É compreensível o desespero da Prefeitura de São Luís, que precisa anunciar na rede de maior audiência - o Sistema Mirante - a fim de chegar mais rápido e à maioria da população com as boas notícias da administração municipal.

Ocorre que a Prefeitura anuncia no mesmo lugar onde apanha muito, todos os dias, com as pautas sobre buracos, terminais da integração abandonados, escolas em cacarecos, o caos no trânsito etc.

O secretário municipal de Comunicação, Marcio Jerry, deve ter o mapa da relação custo/benefício entre os anúncios e os ataques do adversário.

Ademais, a destinação de verba publicitária não é uma condição para silenciar os meios de comunicação contratados para veicular anúncios institucionais.

Ou seja: o fato de a Prefeitura pagar o Sistema Mirante ou qualquer outra empresa de mídia não desobriga os meios de comunicação de cobrir os fatos de interesse público. 

No entanto, o mesmo não ocorre com o Governo do Estado, controlado por Roseana Sarney, irmã de Fernando Sarney, gerente máximo do Sistema Mirante. 

Nesse caso, a mesma família paga e recebe as verbas publicitárias e os meios de comunicação deles fecham os olhos para as mazelas do Maranhão, exceto nos casos em que o repórter de rede da Globo foge à regra.

No Sistema Mirante há bons profissionais. Talvez os melhores do mercado. Eles, por vontade própria, não são pessoas maléficas ao erário. Muitos são pais e mães de família que precisam trabalhar para sobreviver. Outros, iniciando a carreira, têm lá uma oportunidade de estágio.

O problema não está nos profissionais assalariados, mas em outras circunstâncias conjunturais do coronelismo eletrônico e do clientelismo político no Maranhão. Essa é a questão principal.

Demonizar os jornalistas não resolve o problema.

Rádios e TVs são concessões públicas e devem receber verbas publicitárias mediante um contrato. Isso não significa que devam ceder aos caprichos do contratante. Infelizmente, nesse Maranhão medieval, a regra não vale.

 É uma obviedade, mas precisa ser dita: o Sistema Mirante ataca a gestão de Holanda Junior para atingir Flavio Dino (PCdoB), principal adversário da oligarquia Sarney no plano estadual em 2014.

Se o prefeito fracassar, significa uma derrota de Flavio Dino, o mentor do jovem Holanda. A Mirante mira no prefeito, mas o alvo é Dino, candidato ao posto de Roseana Sarney.

O ex-governador Jackson Lago sofreu do mesmo mau, pagando bem aqueles que o açoitavam, até ser cassado.  

Ambos, Lago e Holanda Junior, lembram o mito de Sísifo. Condenado pelos deuses, Sísifo sofreu a punição de empurrar uma grande rocha montanha acima, mas a pedra sempre voltava e ele começava tudo de novo, eternamente.

Esses gregos...

Um comentário:

Alexandre Santos disse...

É família Sarney não adianta mais nada vcs estão perdendo espaço. O povo não aguenta mais vcs. Se não sai por bem sai por mau.