Compartilhe

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

PREFEITAS OSTENTAÇÃO: DE BIA AROSO A LIDIANE LEITE, A TRADIÇÃO DO MARANHÃO

Livre da prisão, Lidiane Leite tem planos de voltar à Prefeitura de Bom Jardim
A decisão da Justiça Federal de soltar a “prefeita ostentação” Lidiane Leite ajuda a alimentar o sentimento de impunidade, latente no senso comum, traduzido no bordão “o crime compensa”.

Livre, juntamente com o seu namorado-provedor, Beto Rocha, o casal está pronto para agir novamente e até retomar o controle da Prefeitura de Bom Jardim.

Não fiquemos surpresos se na eleição de 2016 a ex-prefeita Lidiane Leite voltar reeleita, nos braços do povo e em nome de Jesus, utilizando o discurso evangélico da bíblia paraguaia.

Isso pode ocorrer porque, no geral, os municípios do Maranhão são dominados por dois grupos coronelistas, vinculados a duas famílias tradicionais que se alternam no poder a cada oito anos.

No lugar de Lidiane Leite, assumiu Malrinete Gralhada, herdeira política de uma família tradicional na política de Bom Jardim e arredores.

Excetuando os casos dos bons gestores, nossas cidades são dominadas por “empresários” ou qualquer tipo de pessoa endinheirada que investe pesado nas campanhas eleitorais.

As prefeituras são um negócio, geralmente tomado pela extorsão, em detrimento do interesse público.

Foi o caso de Bom Jardim, disputada por dois grupos conservadores, que acabou caindo nas mãos de Lidiane Leite, a “prefeita ostentação”.
Ex-prefeita de Paço do Lumiar, Bia Aroso foi presa e também ganhou tornozeleira eletrônica
De alguma forma, Lidiane Leite representa os desejos e aspirações de consumo da população pobre, porque as pessoas desprovidas de quase tudo sonham com a mobilidade social e o charme da ostentação.

Glamourosa, bonita, gastadeira e jovem, Lidiane é o protótipo da política tradicional que domina as prefeituras do Maranhão.

O povo pobre e sofrido, no cenário de crise econômica e falta de perspectivas, será cada vez mais vulnerável aos candidatos endinheirados.

A terra arrasada da maioria dos nossos municípios é o lugar predileto de atuação dos agiotas, “empresários” que financiam as campanhas e controlam as contas das prefeituras.

Assim, Bom Jardim é uma cópia de Paço do Lumiar, onde uma outra prefeita ostentação, Bia Aroso, também ganhou tornozeleira eletrônica depois de décadas usurpando os cofres do município.

Infelizmente, essa gente ainda é a maioria no Maranhão.

2 comentários:

wellington diniz disse...

Meu amigo Ed Wilson, concisos e objetivos como sempre, seus artigos. Como disse uma vez Joasinho Trinta, maranhense, carnavalesco multi campeão do carnaval carioca: "Quem gosta de pobreza é intelectual, pobre gosta é de luxo". Muito incentivado pelas novelas de tv, algumas pessoas tem certa tolerância à ostentação, à corrupção e ao caminho mais curto e nem sempre mais correto ao glamour e ao sucesso. Mesmo que para isso, tenham que pagar caro.

Ed Wilson Ferreira Araújo disse...

Grato, meu caro Wellington Diniz. Infelizmente, a miséria da política produz essa dependência dos pobres em relação aos candidatos endinheirados.