Compartilhe

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

OPOSIÇÃO GANHA, MAS O GRUPO DAS “LINDALVAS” MANOBRA NO SINDEDUCAÇÃO

Antonisio Furtado enfrenta as "Lindalvas" no Sindeducação

Presidente eleito do Sindicato dos Professores da Rede Municipal de São Luís (Sindeducação), Antonisio Lopes Furtado relata as manobras do grupo das “Lindalvas” no controle da entidade.

Após a eleição, com a vitória da chapa 1, liderada por Antonisio, as “Lindalvas” fizeram um novo pleito e retornaram ao comando do sindicato.

Antonisio Furtado é graduado em Matemática e professor desde 1992, lotado atualmente na escola Luís Rego, na Vila Itamar. Veja a entrevista.

Blogue - Há quanto tempo o grupo das “Lindalvas” controla o sindicato?

Antonisio – Elas são remanescentes da antiga APEMM (Associação dos Professores do Ensino Médio Municipal), fundada em 1972 e transformada em Sindeducação em 2003.

Blogue - Quais funções as “Lindalvas” ocuparam no sindicato?

Antonisio – Desde o primeiro mandato Lindalva Batista era a presidente e a Lindalva Lopes era a secretária de assuntos educacionais.

Blogue - Como foi o processo eleitoral de 2012? Quantas chapas concorreram e de quais grupos políticos?

Antonisio - Participaram do pleito três chapas: a chapa 1 (oposição) e as chapas 2 e 3 (situação), sendo estas atreladas à Prefeitura e/ou aos partidos da base do prefeito João Castelo (PSDB), tais como PMN, PDT, PPS e outros.

Blogue - Porque a chapa 1, vitoriosa, não assumiu a direção do sindicato?

Antonisio – Porque derrotou a situação e como uma das nossas principais propostas de campanha foi a de realizar auditoria contábil nas duas gestões de Lindalva Batista, esta se aliou à turma do PCdoB que controla o Sinproesemma. Desde então essa aliança vem fazendo de tudo para evitar a nossa posse, em definitivo, na diretoria do sindicato.

Blogue - Quais medidas a chapa vitoriosa tomou para ser efetivada na direção do sindicato?

Antonisio – Atuamos no campo político e jurídico. Como após a as eleições percebemos que a ex-gestão se preparava para anular o resultado da eleição, ajuizamos ação no TRT para assegurar o resultado da mesma. A partir de então, conseguimos uma 1ª liminar que nos garantiu a posse. Lamentavelmente, assumimos numa 5ª feira 18/10 e já na 2ª feira 22/10 tivemos que entregar o comando do sindicato para Lindalva Batista, na medida em que a mesma tinha conseguido suspender a nossa liminar no plantão do TRT.

Retornamos a assumir o sindicato dia 1/11 e, mais uma vez, nossa liminar foi cassada num plantão do TRT e de lá para cá o grupo das “Lindalvas” realizou nova eleição e em tempo recorde deu posse à nova diretoria. Ressalta-se que, nessa eleição do golpe lindalviano (28/11), a soma dos votos carreados às duas chapas é inferior aos votos obtidos pela chapa 1 (Unidade para mudar) que obteve 691 votos na eleição do dia 14/09.

No campo político mantemos contato direto com a nossa base e já realizamos expressivos protestos em frente à sede do Sindeducação, em repúdio às manobras lindalvianas. A última aconteceu no dia 28/11, em frente ao sindicato, quando da realização da eleição da farsa e do golpe.

Blogue - Como está a situação atualmente?

Antonisio - O sindicato hoje é comandado pelo grupo de Lindalva e pela turma do PCdoB que comanda o Sinproesemma, que por força das liminares obtidas no TRT, em finais de semana, conseguiu anular a eleição do dia 14/09 e realizou uma inexpressiva eleição, do ponto de vista do número de votantes (menos de 10% da nossa categoria que hoje é superior a 6.000 professores).

Estamos aguardando o posicionamento do TRT em relação ao agravo interposto pelo nosso advogado, ainda no mês de novembro e dentro em breve realizaremos outros protestos para chamar atenção da sociedade e das autoridades competentes, no sentido de fazer valer a escolha da nossa categoria realizada dia 14/09 e contra o golpe dessa turma de oportunistas de plantão, que insiste em atropelar o direito de escolha dos professores.

2 comentários:

Jose Joao disse...

Falar em educação nesse Estado é piada. Gostaria de saber, com todas essas falcatruas, como esses pelegos, que se dizem professores, ensinam sobre o estado de direito aos seus alunos? OU, no mínimo, como esses marginais falam sobre ética? E o que decepciona mais e preocupa é ter, num tribunal, um desembargador que esteja em conluio como esse assassinato da demcrácia nesse estado

Anônimo disse...

ESSA ENTREVISTA É UMA PIADA. PERGUNTE P ANTONISIO QUEM ESTÁ POR TRÁS DELE???A QUANTOS PROCESSOS NA JUSTIÇA ELE RESPONDE???QUE MORAL ELE TEM?????QUEM TEM RABO DE PALHA N PASSA PERTO DE FOGO....CRIA VERGONHA RAPAZ. VAI TRABALHAR!!!!!!!!!!!